DEPOIMENTOS

“Acredito que todas as iniciativas que procuram reunir oficinas e espetáculos na capital e no interior são bem vindas para aquecer o cenário da dança Baiana . Assim o Abriu Dança a meu ver tem mobilizado dançarinos em torno da sua proposta e ocupado um lugar cada vez mais sólido.  Participei dos Diálogos Temáticos em Salvador,  e achei um bom momento de troca”, afirmou a diretora da escola contemporânea de dança, especialista em dança moderna e coreografia, Fatima Suarez.

“O Abriu é um projeto estruturante que pensa em todos os elos da rede produtiva da dança. “Pensa em: reflexão, produção, criação, circulação e difusão. E consegue agregar o maior número de profissionais.  A articulação que essa iniciativa tem com o interior do estado é muito interessante. O diferencial do Abriu é a potência de articulação e de ser estruturante com essa diversidade de grupos de artistas e de descentralização. O Abriu é uma dança territorializada que vai para outros lugares”, explicou,  o diretor de Fomento da Secretaria da Cultura da Bahia, Matias Santiago

Anúncios