Últimas notícias do evento

Oficina de Composição coreográfica do Abriu Dança foi um sucesso

Postado em Atualizado em

 

A Oficina de Composição Coreográfica de Lia Robatto e Paco Gomes, realizada nos dias 30 e 31/03 como parte da programação da 6ª edição do Abriu Dança na Bahia, recebeu um público maior do que o esperado.

“A oficina disponibilizou 20 vagas para alunos da Funceb e 10 para o público de fora, mas a procura foi bem maior. Foi necessário abrir uma nova turma com Lia Robatto para atender a demanda”, explicou o coordenador artístico e pedagógico, Bruno Jesus.

Com uma vasta experiência na área, a coreógrafa Lia Robatto, professora e pesquisadora em dança, também criadora da Escola de Dança da Funceb, apresentou conteúdos teóricos e práticos sobre improvisação, experimentação, metáfora corporal, sinais, símbolos e códigos gestuais. “Fiquei encantada, com o envolvimento e o comprometimento dessa moçada. Eles demonstram muita garra, vontade e desejo pelo fazer dança” confessou Robatto.

Para a coreografa o Abriu Dança está colaborando para revitalização do segmento na Funceb. “O Abriu está estimulando novos alunos e ativando os que já estão estudando”, afirmou . Segundo ela, o coreógrafo tem que conquistar o bailarino. “Coreógrafo tem que ser didático, ser professor, tem que seduzir e envolver o bailarino. É praticamente um namoro!”, afirmou Lia Robatto.

Simultaneamente também aconteceu a oficina de composição coreográfica com Paco Gomes, bailarino, coreógrafo, músico, professor e especialista em Dança-Educação. “A metodologia das minhas oficinas acontece no momento, quando a turma se reúne. Primeiro faço um diagnóstico dos integrantes com alguns exercícios e vejo até onde posso chegar”. Ele também destacou a importância do Abriu Dança que não segue apenas uma linha de dança. “O projeto tem uma forma de agregar, é um polo de agregamento das mais várias formas de dança. Sinto falta de mais atividades como essa por aqui”, contou o coreógrafo.

Para os alunos da Funceb, a oficina contribuiu para despertar novas formas de fazer dança.  Segundo o estudante João Nogueira, a oficina foi muito gratificante. “Estou em um processo de entender qual o meu lugar na dança, principalmente como criador, o que fazer com todos esses impulsos e inquietações que se dão em forma de movimento e ações. O contato com Lia foi importante para esse momento que estou vivendo agora”, explicou.

Já Carolina Lisboa, participou das duas oficinas. “Foram duas visões diferentes. Paco mostrou a metodologia mais rápida com mais fluidez, já Lia abordou o processo mais devagar, a criação por partes. Para mim foi importante pois abriu meus horizontes para criações futuras”, comemorou a estudante.

O Abriu Dança na Bahia foi contemplado pelo Edital Setorial de Dança, que conta com apoio financeiro do Governo do Estado. O projeto foi idealizado pelo diretor Anderson Rodrigo e conta com a coordenação artística pedagógica de Bruno Jesus e na coordenação de produção Leonardo Luz. Além de Salvador, os municípios: Camaçari, Valença, Senhor do Bonfim e Jequié serão sede do evento. As ações prosseguem até o dia 08 de maio de 2017.

 

Anúncios

Público lota Teatro na abertura do Abriu Dança na Bahia

Postado em Atualizado em

IMG_6405.JPG

Casa lotada e muitos aplausos marcam a abertura do Abriu Dança na Bahia, realizada na noite desta quarta-feira, 29, no espaço Xisto nos Barris. A plateia ficou encantada com a diversidade de estilos de cada apresentação.

Na abertura do evento, o público pôde conferir o solo “Eu de onde venho, para onde vou” de João Lima. Logo após, foi a vez da coreografia “Você Aceita?” do Grupo Dois em Um, em seguida a performance “Refuge – Tribal Fusion”  do bailarino Caíque Melo.  Dando continuidade, “Fraturas” do Coletivo Trippè de Juazeiro. Na sequência “Perene” de Ramom Moura e  “Ginga’ do grupo Origem. Fechando a programação o solo de Alice Rodrigues.

A cada apresentação o público aplaudia com mais intensidade. “Espetacular prestigiar o talento desses dançarinos. A organização também está de parabéns, pois colocou no palco diversos artistas com estilos diferentes, afirmou a aposentada Tereza Barbosa.

Os bailarinos que participaram da Mostra Coreográfica, foram selecionados pela Produção do Abriu Dança, que conta com a direção de Anderson Rodrigo a coordenação artística pedagógica de Bruno Jesus e na coordenação de produção Leonardo Luz.

“É muito importante essa iniciativa de fazer acontecer a dança na Bahia, com a participação de grupos de outras cidades e vários estilos, pois a dança é muito plural e ter a oportunidade de presenciar um pouco essa diversidade é enriquecedor”, afirmou a bailarina do Balé Jovem, Clara Boa Sorte.

Uma das ações do “Abriu” é promover a   qualificação dos profissionais, o intercâmbio entre artistas. “Conheci o projeto em Juazeiro em uma das primeiras edições. Participei de uma oficina e meu grupo apresentou um trabalho que depois virou espetáculo. O mais interessante do Abriu é um encontro entre os artistas. No camarim, conhecemos outras pessoas, fazemos contatos. Em outros festivais, geralmente, você apresenta e vai embora”, destacou Adriano Alves, integrante do Coletivo Trippé.

Muito além de um mês celebrativo.

Para o diretor de Fomento da Secretaria da Cultura da Bahia, Matias Santiago, o Abriu é um projeto estruturante que pensa em todos os elos da rede produtiva da dança. “Pensa em: reflexão, produção, criação, circulação e difusão. E consegue agregar o maior número de profissionais.  A articulação que essa iniciativa tem com o interior do estado é muito interessante. O diferencial do Abriu é a potência de articulação e de ser estruturante com essa diversidade de grupos de artistas e de descentralização. O Abriu é uma dança territorializada que vai para outros lugares”, explicou.

Oficinas Gratuitas, mostras coreográficas e  diálogos temáticos fazem parte da programação do Abriu Dança na Bahia

Postado em Atualizado em

oficina e mostra

A programação da 6ª edição do Abriu Dança na Bahia, contemplado pelo Edital Setorial de Dança, conta com oficinas, mostras coreográficas e  diálogos temáticos. Na abertura, nesta quarta-feira (29),  às 20h, no Espaço Xisto, no bairro dos Barris, o público poderá conferir sete coreografias:  “Eu de onde venho, para onde vou” de João Lima, “Você Aceita?” do Grupo Dois em Um, “Perene” de Ramon Moura, “Fraturas” do Coletivo Trippè de Juazeiro, “Refuge – Tribal Fusion” de Caique Melo, “Ginga Grupo Origem” e “Coisas não Ditas” de  Alice Rodrigues, com ingressos a preços populares: R$ 8 inteira e R$ 4 meia.

Oficinas

Nos dias 30 e 31/03, das 09h às 12h, na Escola de Dança da Funceb-Pelourinho, será realizada a oficina de Composição Coreográfica, com a coreógrafa, professora e pesquisadora, criadora da Escola de Dança da FUNCEB, Lia Robatto e com o bailarino, coreógrafo, músico, professor e especialista em Dança-Educação, Paco Gomes.  A inscrição deve ser feita no site https://abriudancanabahia.wordpress.com/.

Diálogos Temáticos

Faz parte também da programação, Diálogos Temáticos sobre Produção em Dança, Curadoria e Processo de Seleção, que será realizado no dia 03/04, ás 17h, no Espaço Xisto,  com acesso gratuito.

Há seis anos o Abriu Dança vem contribuindo de forma significativa para fortalecer o cenário baiano da dança, qualificando profissionais da área, promovendo intercâmbio e difusão de informações entre artistas.

 “O objetivo é dar visibilidade a outros fazeres em dança, pois sabemos que alguns festivais que acontecem no mês de abril, em algumas ocasiões têm o seu recorte direcionado apenas para os grupos de dança contemporâneos conceituais. A ideia do “Abriu” é criar o intercâmbio entre vários grupos de dança: contemporânea, moderna, ballet clássico, hip hop, pagode, valsa,” afirma o diretor Anderson Rodrigo.

O projeto foi idealizado pelo diretor Anderson Rodrigo e conta com a coordenação artística pedagógica de Bruno Jesus e na coordenação de produção Leonardo Luz. Além de Salvador, os municípios: Camaçari, Valença, Senhor do Bonfim e Jequié serão sede do evento. As ações prosseguem até o dia 08 de maio de 2017.

Abriu Dança na Bahia começa nesta quarta-feira (29)

Postado em Atualizado em

programação

O mês de abril é considerado o mês da dança, mas a programação já começa na próxima quarta-feira (29/03), com a abertura da 6ª edição do Abriu Dança na Bahia,  às 20h, no Espaço Xisto, no bairro dos Barris, com ingressos a preços populares: R$ 8 inteira e R$ 4 meia.

Sete coreografias fazem parte da programação da noite de abertura: “Eu de onde venho, para onde vou” de João Lima, “Você Aceita?” do Grupo Dois em Um, “Perene” de Ramon Moura, “Fraturas” do Coletivo Trippè de Juazeiro, “Refuge – Tribal Fusion” de Caique Melo, “Ginga Grupo Origem” e “Coisas não Ditas” de  Alice Rodrigues.

Umas das particularidades do “Abriu” é dar visibilidade a todos os estilos,  criando um intercâmbio entre vários grupos de dança: contemporânea, moderna, ballet clássico, hip hop, pagode, valsa.

“Cheguei em Salvador pra estudar dança há 3 anos e o Abriu Dança já possuía sua significância na cidade. Além da abrangência regional que o evento proporciona aos participantes e espectadores, a diversidade é percebida na seleção dos artistas. As multilinguagens artísticas são essenciais para não haver uma hegemonia na arte, principalmente na dança, na qual por muito tempo tivemos isso”, afirmou o Bailarino, coreógrafo, professor, pesquisador e autoprodutor em dança,  Caíque Melo.

Foram  mais de 400 inscritos para as mostras coreográficas. “É uma honra ter sido selecionado para participar, construindo a história do “Abriu”, conjuntamente com todos os envolvidos, proporcionando a arte de forma séria e profissional”, conclui Caíque.

Em cinco edições realizadas, o projeto já contemplou mais de 500 artistas e alcançou 20 cidades baianas.  Cerca de duas mil pessoas assistiram às mostras em teatros, espaços culturais e praças. Durante as ações, cerca de 600 profissionais da dança foram certificados.

“A dificuldade de produzir dança na Bahia é grande, e fazer dança quando se é independente pode ser mais difícil ainda. A importância do Abriu Dança para nós bailarinos, intérpretes e coreógrafos é de extrema significância. Poder expor seu trabalho, que às vezes só fica em sala. A possibilidade de dividir este solo que é um grito silencioso, para as condições que enfrentamos em relação a arte me deixa muito mais feliz. Dançar será um gesto de gratidão a esse projeto tão importante”, explicou a Bailarina, intérprete, coreógrafa, multiplicadora, Alice Rodrigues.

Além de Salvador, os municípios: Camaçari, Valença, Senhor do Bonfim e Jequié também serão sede do Abriu Dança. A programação completa do evento em breve estará no site https://abriudancanabahia.wordpress.com/

A programação se estende até o dia 08 de maio de 2017, e conta com diversas ações, as mostras coreográficas, oficinas de dança: moderna, contemporânea, afro brasileira e composição coreográfica e Diálogos Temáticos sobre formação em dança; mercado de trabalho; processo curatorial em dança.

O Abriu na Dança foi concebido pelo diretor Anderson Rodrigo e conta com a coordenação artística pedagógica de Bruno Jesus e na coordenação de produção Leonardo Luz. Nesta edição foi contemplado pelo Edital Setorial de Dança que conta com apoio financeiro do Governo do Estado, por meio da Fundação Cultural do Estado (Funceb), entidade vinculada à Secretaria de Cultura (Secult).

SERVIÇO

O quê? Abriu Dança na Bahia
Onde? Espaço Xisto Bahia (Complexo da Biblioteca dos Barris).
Quando? 29  de março, 20h
Quanto? R$ 8 inteira e R$ 4 meia.

Confira as coreografias selecionadas da cidade de Salvador

Imagem Postado em Atualizado em

perene

Ramon Moura “Perene”

Numa inquietude acerca das leis naturais do corpo e o sentido do existir, PERENE sugere um olhar nos conflitos que permeiam as ideias de quando questionamos o que vem depois da vida e qual o nosso papel onde estamos.
Passada a vida, tudo acaba? Continua? Recomeça?
A Obra mergulha nesse rio de questões abordando as possíveis respostas e caminha por um sentido poético que traça toda a estrutura coreográfica. A vida que se finda, permanece… e a vida que prossegue, nunca acaba.

Ficha Técnica
Direção e Coreografia: Ramon Moura
Bailarinos: Danillo Queiroz, Igor Couto e Luiza Agra

caique melo

Caíque Melo Refuge – Tribal Fusion

O solo, criado pelo artista Caíque Melo, com música da banda Beats Antique, trata da transformação que cada um de nós precisamos fazer, muitas vezes forçadamente, para no mínimo, sobreviver. O éter, o espírito da vida, se faz presente em metal, irradiando-nos sem ao menos percebermos. Enquanto isso, defendemos o que acreditamos, muitas vezes nos ferindo e ferindo os outros. Assim, resta mover. Morrer. Viver. Transformar!

Ficha Técnica
Intérprete-Criador: Caíque Melo
Provocadora Cênica: Lory Rabie
Música: Beats Antique

alice rofrigues

Alice Rodrigues- Coisas Não Ditas

Em tempos de intolerância, o desejo e a luta por igualdade é o que nos deixam fortes, descobrir o alter ego mesmo nos desconhecidos, perceber que simplesmente somos parecidos, identificar-se no outro.
Ficha Técnica
Coreógrafa e Interprete: Alice Rodrigues
Música: Senhor cidadão – Tom zé

joao lima

João Lima -“Eu de onde venho, para onde vou”

Retrata os momentos que marcaram a vida do coreografo, bailarino e professor, João Lima. Entre balanças e catingas, o colo materno foi o precursor da sua arte, os estímulos corporais vivenciados pelo artista, originaram princípios básicos da dança que favoreceu o desdobramento, através das sensações incorporadas nas formas e nos movimentos, apresentando seu crescimento pessoal e artístico.

Ficha Técnica
Concepção e Direção: João Lima
Interprete: João Lima
Musica: Dj Bandido
Produção:Dj Bandido

voce aceita

GRUPO DOIS EM UM
Você Aceita?

O trabalho coreográfico parte dos fundamentos e elementos da dança de salão enquanto estímulo para construção coreográfica, desconstruindo os formatos tradicionais de apresentações das danças a dois.
Ficha Técnica
Direção: Alisson George e Thalita Lima
Intérpretes-Criadores: Alisson George, Jocélia Freire e Thalita Lima

grupo origemGRUPO ORIGEM – Ginga

Sentimento que se abriga dentro num coração de tantas lembranças e de herança dos nossos antepassados , a Coreografia trás essa linguagem do jeito brasileiro de agir, andar, gingar. através dos movimentos resinificado da capoeira.

Ficha Técnica
Direção e Coreografia: Wellington Monteiro
Bailarinos: Christiane de Jesus, Dalila Leal, Emerson Ataíde, Igor Costa, Joely Silva e Willians Ferreira
Figurino: Tyara Fontes
Produção: Caroline Adrião

COLETIVO TRIPPÉ –Juazeiro

fraturas
Fruto da sinergia gerada pelo encontro da Paulista Cia. Siameses com o Coletivo Trippé, “Fraturas” propõe, para o próprio intérprete, uma atenção especial para cada dobradura do corpo, concatenando um movimento ao outro como se, quem executa, estivesse a desenhar no espaço sua própria presença.

Ficha técnica
Direção e Coreografia: Mauricio de Oliveira.
Assistentes de Coreografia: Ivan Bernadelli e Kátia Rozato.
Intérpretes: Adriano Alves, Julia Gondim e Wagner Damasceno.
Criação de Luz: Carlos Tiago e Mauricio de Oliveira.
Objetos cênicos e figurinos: Mauricio de Oliveira.

Abriu Dança na Bahia divulga lista de selecionados para a 6ª edição

Postado em

foto Abriu Dança

Depois de muita ansiedade  dos artistas e grupos, e de muito trabalho da produção, chegou a hora de saber os convocados das cidades de Salvador e Camaçari, que irão brilhar nos palcos da 6ª edição do Abriu Dança na Bahia.

SALVADOR  29 de março

Solos:
Studio Ballet Cajazeiras – Coisas não ditas – ALICE RODRIGUES
Caique Melo – Refuge – CAIQUE MELO
João Lima – Eu de onde venho, para onde vou – JOÃO LIMA

Duo/Trio:
Dois em um – Você aceita? – Interpretes criadores JOCÉLIA FREIRE, ALISSON GEORGE E THALITA LIMA

Gupos:
Coletivo Tripé – Fraturas – Coreografia e direção MAURÍCIO DE OLIVEIRA
Grupo Origem – Ginga – Coreografia e direção WELLIGNTON MONTEIRO
Ramon Moura – Perene – Coreografia e direção RAMON MOURA

Suplentes Grupos:
Cia do Meio – O Santo e Antônio – Coreografia e direção LEILA GOMES E CIA DO MEIO
Cia Cenas e Bailados – Suicidio Anacrômicos – Coreografia e direção JEAN SOUZA

Suplente Solo
Marcos Ferreira – 1° Eu,2° Eu,3° Eu – MARCOS FERREIRA

CAMAÇARI – 07 de abril 
Solos:

Everton Bacélla – Sentença – EVERTON BACÉLLA
Angela Cheirosa- Dança do ventre e afrodescendencia – ANGELA CHEIROSA

Duo/Trio:
Vibe CIA de Dança – conversas em ruídos – DANILO ALMEIDA

Grupos:
LX VIP- Pagode quebradeira – MARIVALDO ARAÚJO / DENISON FELIX
Honório Cia. De Dança – Fragmentos de um código esquecido – CLAUDIANA HONÓRIO
Ensaio Cia de Dança – Sufoco – LUIS DEVEZA

Suplente Grupo:
Eliane Brasil – Ponto de encontro – Wellington Monteiro, Lima Pinheiro, Cleiton Miranda, Cid Neto

Divulgação do resultado do Abriu Dança na Bahia é prorrogado

Postado em Atualizado em

Devido ao grande número de inscritos na 6ª edição do Abriu Dança na Bahia, a produção do evento alterou a data de divulgação do resultado das cidades de Salvador e Camaçari, para a próxima terça, 21 de Março.

O resultado da convocatória das mostras dos municípios de Senhor do Bonfim, Jequié e Valença será divulgado no dia 05 de Abril. Todas as informações e convocatórias serão publicados no site https://abriudancanabahia.wordpress.com/

mostra adiada

 

 

Continuam abertas as inscrições da 6ª edição do Abriu Dança na Bahia

Postado em

Estão abertas até o dia 16 de março as inscrições para 6ª edição, do Abriu Dança na Bahia. Poderão participar grupos, companhias e artistas independentes. Nesta edição, cinco cidades serão contempladas: Salvador, Camaçari, Valença, Senhor do Bonfim e Jequié.

O Abriu Dança será realizado no período de 28 de março até o dia 08 de maio de 2017. Os participantes selecionados serão contemplados com um cachê simbólico, sendo que para grupo o valor é R$ 1.000 (mil reais), Duo  R$ 700 (setecentos reais) e Solo 400 quatrocentos reais).

As mostras para grupos deverão ter no máximo 12 minutos, duo 10 min e solo 7 min. Para conferir o regulamento e efetivar a inscrição, Acesse: https://abriudancanabahia.wordpress.com/

Com cinco edições realizadas o Abriu na Dança vem se destacando no cenário baiano como um projeto que abraça várias vertentes,   promove a   qualificação dos profissionais da área, o intercâmbio e difusão de informações entre artistas, além de oferecer à população a  possibilidade de assistir espetáculos em espaços diversificados.

O projeto já contemplou mais de 500 artistas e alcançou 20 cidades baianas.  Cerca de duas mil pessoas assistiram as mostras em teatros, espaços culturais e praças. Durante as ações, cerca de 600 profissionais da dança foram certificados.

Neste ano, o Abriu na Dança, foi contemplado pelo Edital Setorial de Dança que conta com apoio financeiro do Governo do Estado, por meio da Fundação Cultural do Estado (Funceb), entidade vinculada à Secretaria de Cultura (Secult), através do Fundo de Cultura do Estado e da Secretaria da Fazenda (Sefaz).

O Abriu na dança foi idealizado pelo diretor Anderson Rodrigo e conta com a coordenação artística pedagógica de Bruno Jesus e na coordenação de produção Leonardo Luz.

 

CONVOCATÓRIA 2017

Postado em Atualizado em

CONVOCATÓRIAcartaz-abriu-danc%cc%a7a-2017-convocatoria-01

Na sua sexta edição, O AbriU Dança na Bahia abre convocatória para grupos, companhias e artistas independentes para sua Mostra Coreográfica.

As inscrições para a Mostra que acontecerá nas cidades de Salvador, Camaçari, Valença, Senhor do Bonfim e Jequié, são para Grupos, Cias, Coletivos e Artistas da Dança.

Cada trabalho deve ter o tempo máximo de duração de 12min quando grupo, 10min quando duo, e 7min quando solo.

Todos os participantes de cada mostra receberão um cachê simbólico para realizar uma apresentação,  os valores são: R$ 1.000 (mil reais) para Grupo, R$ 700 (setecentos reais) para Duo e R$ 400 (quatrocentos reais) para Solo.

A escolha dos trabalhos será feita seguindo os critérios que apreciarão a proposta de cada trabalho coreográfico, assim como a quantidade máxima de participantes por mostra, mantendo uma programação diversificada em cada cidade, contemplando linguagens distintas de produção em dança.

Não existem restrições para grupos e artistas que tenham interesse em mandar proposta para participar das mostras em cidades que não sejam de sua origem. Caso a proposta seja contemplada na programação, o deslocamento e hospedagem serão de responsabilidade de cada artista ou grupo.

Os interessados podem se inscrever até o dia 16 de março de 2017, preenchendo nosso formulário de inscrição CLICANDO AQUI

A divulgação do resultado para cada mostra será publicado até o dia 20 de Março de 2017, no blog do abriudancanabahia.wordpress.com

Os grupos receberão comunicados por e-mail e/ou telefone para ajustes finais e esclarecimentos.

Qualquer informação ou dúvida, os inscritos podem entrar em contato através do e-mail: abriudancanabahia@gmail.com

A produção do AbriU Dança na Bahia oferecerá aos participantes da mostra, recurso de som e luz, de acordo com a disponibilidade dos espaços culturais para a apresentação dos trabalhos coreográficos. A produção concederá também, atestado de participação para os artistas/grupos, assim como divulgação das mostras através da web e de materiais gráficos como Cartazes, Panfletos e Programas.

INSCRIÇÕES CLICANDO AQUI

Imagem Postado em Atualizado em

web-abriu-danc%cc%a7a-2017-01